quinta-feira, dezembro 24, 2009

A Partida (Adeus a Roberto Oliveira)

















A Partida

Partiste...finalmente! E neste adeus
Minha alma em soluços liquefeitos
Foste ao encontro dos anjos e Deus
Agora és o maior entre os perfeitos!

Viveste uma vida de dever por amor
Sacrificios fizeste por teus queridos
Teus amigos irmanados estão na dor
Saudosos, com corações doloridos!

Poeta alguém já disse que morreste
Mas nem te conhecia, como entender
O resplendor de tua alma brilhante?

Para todos que amparaste, faleceste
ficam á espera do momento de te ver
no lar etéreo, irmão, amigo, amante...

Arlete Piedade

quarta-feira, outubro 21, 2009

Conto "Os homens também choram!"


Eram apenas sete horas da manhã, naquele dia do início de Março, mas o calor já se adivinhava insuportável. O carro estava parado na fila do meio na auto-estrada , como em todas as manhãs dos últimos cinco anos e Manuel tentava conter a ansiedade como sempre em todos os outros dias em que se dirigia para o trabalho.
Ligou o rádio num gesto entre impaciente e resignado. Já sabia o que ia ouvir:
- Senhores ouvintes, a temperatura prevista para hoje em Lisboa, situa-se entre os 35º graus de máxima e 25º de mínima. Alerta laranja activado em dez distritos do continente. Alerta vermelho na zona da grande Lisboa e grande Porto. Não se esqueçam de levar consigo as garrafas de água para manter a hidratação! Não expor a pele directamente ao sol! Crianças e velhos devem manter-se em casa! – E prosseguia o locutor:
- Trânsito congestionado nas principais vias de acesso á capita! Também no grande Porto e na Via de Circunvalação trânsito com demora acentuada! – mas Manuel já nem ouvia o locutor, era sempre assim todas as manhãs. Tocou no comando instalado no volante, para procurar uma outra estação de rádio, que lhe desse música relaxante e calma!
Mas só encontrava os sucessos barulhentos do momento....Irritado desligou o rádio. Olhou pela janela e reparou na ocupante do carro ao lado. Ela sorriu-lhe e ele retribuiu o sorriso fazendo um gesto de resignação que pretendia abarcar as filas e o trânsito e o mundo em geral.
Ela retribui com um encolher de ombros e ele não pode deixar de reparar naqueles ombros morenos, que estavam desnudados pelo vestido. Não conseguia ver bem, mas aparentemente ela usava um vestido ou blusa sem ombros, apenas cingido no busto por aquelas filas de franzidos que estava na moda.
Os seios pareciam ser grandes e os olhos escondidos atrás dos enormes óculos escuros, apenas se podiam adivinhar. Como seriam os olhos dela?
Os cabelos eram curtos e louros, com uma franjinha caída para a testa ampla. O trânsito na fila ao lado avançou e a mulher arrancou devagar. O carro dele não saíu do mesmo local entretanto, mas Manuel não se irritou. Sabia que dentro em pouco se voltariam a cruzar mais á frente noutra fila.
Agora era a sua vez de arrancar. Seguiu em frente devagar, quase automáticamente, e voltou a ligar o rádio. Agora passava uma música antiga de Elton John. Ficou a ouvir e a recordação da esposa voltou com maior força agora. Era sempre assim. Em qualquer circunstancia do dia a dia, inesperadamente, lá voltava o fantasma do passado para o atormentar.
De repente viu-a á sua frente, como naquele dia em que ela lhe tinha pedido o divórcio. Escutou as suas palavras agressivas de novo:
- Vai-te embora de vez! Deixa-me em paz! Nunca me amaste! Vai para as tuas amantes! Para que me hei-de esforçar para te dar esse filho? – Para ficar no mundo mais uma criança sem pai?
Ela não o compreendia, nunca tinha compreendido a sua necessidade de ter um filho para dar continuidade ao seu nome, para lhe fazer companhia e brincar com ele. Como sonhava com esse filho! Imaginava que iriam passear ao parque, que dariam grandes caminhadas, que iriam jogar á bola, imaginava que ensinaria ao filho tudo que tinha guardado dentro de si, fruto de longas horas silenciosas de reflexões, as descobertas sobre o coração humano, as tentativas inglórias de compreender aquela mulher que era sua desde a infância comum passada na aldeia!
Ela sempre tinha sido sua, continuava a ser sua, mas como lhe fazer entender isso? – Agora era tarde, pensou pela milésima vez. O divórcio tinha sido decretado na semana anterior , era um facto irregovável que no entanto não sabia se iria aceitar alguma vez.
A fila estava de novo parada. Meteu a mão no saco a seu lado e pegou na caixa de chocolates. Comeu um quadrado sem pensar! O doce derreteu-se-lhe na boca! Seguiu-se outro e outro mecânicamente! Sempre tinha gostado de comer, por isso estava um bocado acima do peso.
Ela sempre o aborrecia por isso. Agora pelo menos já não a iria ouvir a chateá-lo. Aproximavam-se das portagens e o carro da frente travou bruscamente devido a outro ter mudado de fila inesperadamente. Sem ter tempo de reagir e fragilizado pelas suas recordações de um casamento fracassado, Manuel embateu violentamente no carro que fez peão e ao bater no separador capotou aparatosamente.
O seu carro tinha-se imobilizado com uma violenta travagem e Manuel saiu em socorro do outro condutor. Não tinha reparado que era o carro da mulher loura. Ela estava presa no cinto de segurança e sangrava da cabeça. Antes de mais nada ele telefonou para o serviço de emergência médica e enquanto esperava a chegada da ambulância, deitou-se no alcatrão a seu lado, acariciando-lhe os cabelos que rapidamente estavam a ficar empapados de sangue.
Ela naquele momento representava todas as mulheres, as que tinham passado fugazmente pela sua vida, as primeiras namoradas, as amantes, a esposa! Em especial a esposa!
Murmurou, sentindo o rosto molhado:
- Perdoa-me, perdoa-me! Não morras, não te vás! Deixa-me conhecer-te melhor! Não me abandones!
Ouviu os silvos da ambulância que chegava, e afastou-se para dar a vez aos paramédicos! Entrou no seu carro mas ao ligar a ignição nada se ouviu! A porcaria do carro tinha ficado mais afectado do que ele suspeitava.
Agora era a brigada de trânsito da GNR que o chamava para fazer o Auto de Ocorrência. Respondeu mecânicamente ás perguntas, assinou onde lhe pediram, e recusou a ajuda que lhe ofereciam sem pensar. Ficou junto ao carro imobilizado e pegando no seu telemóvel chamou um pronto-socorro, para o levar para a oficina.
Quando este chegou, deu as indicações necessárias, e recusou ajuda mais uma vez. Lentamente e sem olhar os carros que se desviavam dele para não o atropelarem, dirigiu-se á berma da Auto-Estrada. Passou as pernas pelo separador, e deixou-se cair no talude cheio de ervas que ainda deviam estar verdes, mas já estavam a secar naquele início de Primavera, que se comportava como o fim do Verão. Afastou-se perdendo-se entre os matagais! Para ele não havia estações do ano. Tinha deixado de haver Primavera, ou Verão! Seria sempre Inverno doravante!

quinta-feira, julho 16, 2009

SELEÇÕES DO RAIZONLINE























SELECÇÕES DO RAIZONLINE – ABERTAS AS PRÉ-INSCRIÇÕES

Caros Amigos,

O Jornal Raizonline é já uma aposta ganha! Prestes a completar um ano sobre o primeiro número experimental, abre a partir de agora as pré-inscrições para a primeira recolha de textos seleccionados dos já publicados e a publicar até ao final do ano de 2009, para integrar a sua primeira colectânea em papel:

- SELECÇÃO ANUAL DE TEXTOS DO RAIZONLINE

Seja para guardar e coleccionar, seja para oferecer a amigos e familiares, seja para pequenas vendas a amigos, seja para ter uma oportunidade de mostrar através de meios de difusão diferentes e mais largos o seu trabalho, seja você já um colaborador do nosso jornal ou não, pode ver os seus textos incluídos nesta edição.

Se você quiser participar mas não for ainda nosso colaborador, o procedimento a ter é o mesmo que está reservado aos nossos colaboradores habituais: pode (e deve) entrar em contacto connosco para efectuarmos nas mesmas condições dos nossos colaboradores habituais a possível publicação dos seus trabalhos no nosso jornal e assim assegurar desde logo - publicação aceite e feita - a sua possível inclusão na nossa selecção de textos.

As únicas condições necessárias serão ter o(s) seu(s) trabalhos publicados no nosso jornal pelo que sugerimos que nos envie desde logo o que tem em carteira ou o que pretende fazer o mais depressa possível porque não iremos (em princípio) alterar a paginação habitual do nosso jornal.

Adiantamos que podem inscrever-se pessoas de qualquer faixa etária, e que sendo o nosso jornal dirigido ás CPLP, aceitamos colaborações oriundas de qualquer país desde que a língua utiizada seja o português.

O Regulamento completo será publicado em Setembro de 2009 mas as modalidades a seleccionar serão: poema, conto, crónica, artigo, trabalho científico, reportagem…
Contactos: raizonline@gmail.com; raizonline@yahoo.com.br

Divulgue esta ideia! Venha colaborar connosco! Seja leitor e amigo do jornal Raizonline!

Visite o nosso jornal em:
http://silvaconfig.no.sapo.pt/
http://raizonline.110mb.com

Daniel Teixeira - Director Interino
Arlete Piedade – Chefe de Redacção
Arlete D. Fernandes - Educação e Cultura

quinta-feira, julho 09, 2009

OLHOS NEGROS

Teus olhos, são como a noite negra.
Opacos de carinho, desejo e paixão!
Minha vida por ti só tem uma regra:
-Amar-te!-Ainda que seja só ilusão!

Tudo que te desejo, podes acreditar,
é que vivas com alegria e plenitude!
Estar contigo e no brilho desse olhar
Ver que sou eu a causa dessa atitude!

Como dizia o poeta e para não falhar
não irei pedir nada de transcendente
e nem vou esperar de ti, fidelidade...

somente que seja eterno enquanto durar
viver contigo esta paixão loucamente
e nos intervalos, suportar a saudade...

Arlete Piedade
video

sexta-feira, junho 26, 2009

Lágrimas preciosas



















Lágrimas preciosas

As nossas lágrimas são preciosas
como diamantes forjados na alma!
Só se usam mesmo para expressar,
as mágoas e emoções bem dolorosas!
As palpitações do coração acalma,
e os rios de lava faz congelar!

Poucas coisas merecem que choremos,
no mundo em mudança em que vivemos,
nesta era que dizem anunciar o fim!
Talvez a dor das crianças que vemos,
ou o abandono dos velhos que serenos
esperam na morte, a libertação enfim!

Também a lenta agonia,a que assistimos
da terra mãe de todos nós, seres vivos
que por vis ambições,a vão conspurcando,
quando por nossa culpa, tudo destruimos!
As selvas, os mares e homens nas tribos
e elegemos os governos que vão deixando!

Então esqueçamos as lágrimas e sózinhos,
erguemos o olhar determinado para a meta
e em nosso coração tracemos os planos...
Sejamos solidários com os nossos vizinhos,
um a um, um movimento alagando o planeta,
como um oceano composto de seres humanos!

Arlete Piedade

sábado, maio 09, 2009

MAIO EM SANTARÉM













Maio em Santarém



É em Maio que tuas avenidas

florescem em cores maviosas,

e tuas antigas praças queridas

agradam com cheiro de rosas!



É em Maio que recordamos,

Salgueiro Maia, nosso capitão,

que ao livrar-nos de tiranos

libertou esta antiga nação!



Maio, aves de todas as raças,

volteiam em alegres chilreios,

invadem os campos e praças,

e os ares, em alegres gorjeios!



Mês belo, Maio em Santarém,

em que tudo canta, a alegria

de estar vivo e feliz, porém,

batalha pelo pão de cada dia!



Arlete Piedade

sábado, abril 11, 2009

Feliz Páscoa




Nesta semana de festejos
Vamos todos comemorar
Com muita alegria e beijos
Do Senhor, o Ressuscitar!

Ele morreu para nos salvar
Deu a vida por nós na Cruz
Por isso vamos comemorar
Da morte Sua vitória, Jesus!

A natureza também festeja
Renovando-se na primavera
Com folhas verdes e flores

Nossa mãe terra nos deseja
Maior consciência e espera
De seus filhos menos dores!

Arlete Piedade

Primavera




Em cada primavera a natureza inteira renasce
Os caules tenros emergem na manhã reluzente
Névoas se dissipam aos raios do sol que nasce
E fios de água fresca brotam de cada nascente

Pelos ares, avezinhas se entrecruzam, chilreando
Em alegres revoadas que enchem de alegria o céu
Pelos caminhos, pares de namorados se beijando
Lembram ao universo, que o amor nunca morreu

Mesmo que a terra inteira agredida trema e aqueça
E nos mares as águas subam e as margens inundem
A nossa mãe natureza pede que ninguém a esqueça

Para que nossos filhos tenham firme a sua fortaleza
É preciso que todos juntos lutem e as coisas mudem
Para que cada nova primavera a purifique e fortaleça!

Arlete Piedade

sábado, março 28, 2009

Parabéns Daniel Teixeira





Parabéns Daniel Teixeira

Certo dia eu recebi um pedido,
fiquei sem saber o que pensar.
Um certo cavalheiro sem alarido
queria comigo um jornal iniciar!

Interessada em mais informações
respondi que lhe queria falar...
assim iniciámos as comunicações,
e o projecto começou a se formar!

Primeiro nem sequer tinha nome,
era um bebé acabado de nascer;
só com um pai, ele tinha fome,
precisava alimento para crescer!

Fui escolhida para mãe adoptiva,
em certa parte também a madrinha,
ficou Raizonline, e nesta lida
já fez seis meses e já engatinha!

O seu paizinho também faz aninhos.
Lá para as bandas do oceano a sul,
as aves tinham chegado aos ninhos,
o céu era de novo luminoso e azul!

Quando um menino nasceu numa casa
encostada a um grandioso penedo...
cheirava a verão no ar em brasa,
mas seus pais não sentiam o medo!

Daniel chamaram então ao petiz
e ele foi crescendo e crescendo,
achando que Deus é o seu juiz
um estudante, curioso e lendo...

De literatura gostava e poesia.
Filosofia adorava para pensar,
investigava tudo na psicologia,
matéria em que se quiz doutorar!

Na praia nos verões escaldantes,
fazia seduções com a rapaziada...
com as estrangeiras extravagantes
mas gostava era da sua namorada!

Hoje tudo acabou, é um virtual,
convertido ás novas tecnologias,
sai de casa para comprar o jornal,
atrás do computador passa os dias!

Por isso Daniel te venho desejar,
passes um dia feliz com a gente
virtual, que te aprendeu a estimar
e que contigo suas emoções, sente!

Este presente eu te venho deixar,
feito da soma de muitos carinhos,
aqui juntos para te vir desejar,
Parabéns e muitos mais aninhos!

Arlete Piedade - Santarém - Portugal


Neste teu especial dia dedicado
Queira receber julgado poema
Como se fosse um belo diadema
Que hoje deves ser bem focado!

Digo-te Daniel Teixeira, meu amigo
Que mui estimo esta franca amizade
Que neste 29 de Março de felicidade
Não pode faltar comemoração, digo!

Inda que para tal a agua seja vinho
O que difícil não é se a fé não faltar
Como Cristo mui bem disse ao morrer!

Vamos todos na roda dançar e correr
Levando com a e a alegria ao altar
O desejo de longos anos, sempre novinho!

João Furtado

Praia, Cabo-Verde 29 de Março de 2009.


O Cotó do Daniel (Causo)
Autor: ACAS - S. Paulo - Brasil

O Daniel treinô seu cotó
Pra podê corrê lebre
O cotó era mui franzino
I feio, i num era nada alegre

Eu fiquei cuma grande pena
Desse cachorro do Daniel, o cotó
Pro mode dele sê tão fraquinho
E ainda tê aquela cara de bocó

O Daniel levô mais de um meis
Só pra vê se o cotó miorava
Deu pulenta, batata, soro de quejo;
Mai o cotó só crecia i ingordava

O Daniel levô ele pro mato
Lá pras bandas de Portimão
E o cotó só rosnava e latia
Mai corrê, num curria não

O cotó acabô parano in frente
Dum grande buraco di lebre
Daniel roiô brabo cum o cotó
Que inté parecia tá cum febre

O cotó pulô direto no buraco
Si iscuitô foi uma briga danada
Foi grito, latido, grito
Dele só si iscuitava as rosnada

O cotó dispois dum tempo
Vortô tudo sujo de terra
E cum a cara escalabrada
- resurtado dessa guerra

Num tinha ninhuma lebre
Lá bem indentro du buraco
É, mai tinha um porco espinho
Qui inda tava cum ar veiaco

O cotó vortô pra casa
I ficô anssim num disamô
Hoje em dia, quê sussego
Ele inté parece meu vó...

Dispois do causo do porco espinho
Nosso directô Daniel ficô legar
- Hoje em dia caça só palavra
I dirige nosso jorná virtuar


Para homenagear Daniel

(Arlete Deretti Fernandes) - Florianapolis - Brasil

Mesmo havendo-o há pouco conhecido,
Vejo neste homem um cavalheiro mui gentil.
Em seus e-mails tenho percebido
Atenção, generosidade e capacidades mil.

Nossos antepassados ao Brasil chegaram,
Atravessando nos mares, vindos de Portugal,
Grandes navegates, não imaginaram
Seus filhos se comunicando com facilidade tal.

A internet, o avanço da tecnologia,
Permitiu-me encontrar um amigo fiel,
Só tenho a expressar-lhe a minha alegria.

Por ter encontrado você, Daniel.
Em seu aniversário quero abraçá-lo,
Desejando-lhe felicidades sob este imenso céu!


Meus parabéns Irmão

Daniel, dia, aniversario que vistes luz, meus parabéns
Te chamo irmão, porque tua língua foi de minha mãe
Nos imigrantes, fugimos da fome, e mais dois vinténs
Para ver a beleza do mundo, e outras gentes também

Posso dar-te os parabéns pela riqueza que ofereces
A tantos como eu espalhados por esse mundo fora
Abraços não te posso dar, mas de todos os mereces
Estou pedindo; Arlete Piedade; por mim te dei-a agora


Só homens de grande pensar, abrem portas ao saber
Abraçam a virtualidade para aprenderem também
Para estes o amor e paz do mundo, e o maior prazer
Para mim convívio com o mundo, e o amor de alem


Parabéns irmão de pena, da igualdade, amor e paz
Das linhas do jornal; vejo sair alegria dando beleza
Noticias do berço, e historias que ao mundo apraz
Do outro lado do atlântico, nossa Pátria Portuguesa


Hoje celebra-se o teu aniversario amigo Daniel
Deixei correr tinta de minha pena para estar presente
Desejando que a colmeia do raiz online te de mel
Teu jornal seja na diaspora um verdadeiro presente

Por Armando Sousa
Toronto Ontario Canada

ILUSTRE AMIGO DANIEL TEIXEIRA,

Hoje é um dia muito especial,
um dia de aniversário, de um Amigo em Portugal

Que ao ser recebedor desta singela mensagem
Seu coração bata mais forte,
Que seus lábios sorriam
que seus olhos brilhem mais forte
Neste dia de seu aniversário
E em todos os dias de sua vida

Hoje, neste jardim imenso da vida,
Colhe mais uma preciosa flor
A qual junta a seu belo ramo
Que neste jardim esteja sempre rodeado
De todo o Amor e Carinho
Porque o meu Amigo Daniel o merece

Que a felicidade o acompanhe sempre
Maior de que já é dela possuidor
E que este belo dia se repita por muitos e belos anos
Pois é maravilhoso o bem que vêm plantando
Ao longo do caminho já percorrido

Que suas flores continuem sempre viçosas
Cheias de vida e flagrância
E suas raizes continuem a fortalecer-se
Neste mundo Luso onde vivemos e não só

Sinceros Parabéns são os votos sinceros
Deste Amigo distante, mas que sempre perto está
No coração das pessoas de boa vontade.

Da Tailândia com amizade

António Manuel Fontes Cambeta


Aniversário

Renascemos em cada dia
que nasce
todavia houve um dia
em que o milagre da vida
tocou a vida da gente
Aventura dolorida
ver outro mundo diferente
não fica dele memória
como a flor não diz a história
oculta na mãe semente
Festeje-se hora a hora
caminhemos docemente
pelas veredas da vida
como um rio da nascente
que vai cantando feliz
sem se lembrar que a foz
marca o seguro encontro
de todas as águas do mundo.

Maria Petronilho

Almada - Portugal

Homenagem a um amigo virtual

O cansaço invade
meus olhos
as palavras dançam em clave de sol
a cabeça pende no meu ombro
mas não me deixo vencer
na vontade
teimosa e superior
de me afundar
nos folhos do lençol.
Luto contra a minha sonolência
escrevendo palavas simples e breves
mas plenas de afeto
numa amizade ainda em aberto
que certamente irá crescer
na magia
da palavra
dum jornal virtual.

Os meus parabéns Daniel Teixeira
pelo aniversário e o seu jornal
seja mui feliz, tanto quanto queira
e que sua escrita se torne imortal.

Março 2009

Um abraço amigo
Liliana Josué

Lisboa-Portugal


Feliz Aniversário

O mundo floresce,
A vida cresce,
E os anos passam,
E Repassam,

Bem aventurado
Daniel sejas,
Por no meio de nós estares,
Pelas oportunitades,
Pela amizade,
Pela compreensão,
Bem-hajas!

Feliz aniversário.

Cristina Maia Caetano
Pinhel-Aveiro-Portugal

Uma festa continental

Com o advento da Internet
Que usa a escala virtual
Tornou-se bem mais fácil
A comunicação mundial.

Para tal objetivo honesto
Contamos com bons sites
Alguns são mais modestos
Outros gastam muitos bytes.

Não importa a dimensão
O que pesa é a qualidade
E que seu rico conteúdo
Seja ornado pela verdade.

Neste aspecto comemoramos
A chegada do jornal RAIZ
Que num clicar de dedos
Atravessa todo nosso país.

Tal veículo vai crescendo
Com a ajuda de colunistas
Alguns são bons poetas
Outros, alegres piadistas.

E hoje é dia de comemorar
O aniversário do fundador
Que elaborou tal trincheira
Com árduo trabalho e amor.

O bolo recheado de alegria
Tem doce sabor de esperança
Nesta época de homenagem
É bom agirmos como criança.


A festa começa em Portugal
E chega à nação brasileira
Cujos leitores doam votos
Ao valente Daniel Teixeira.


Esta é uma modesta salva
Criada por Haroldo Barboza
Que fazendo parte do time
Está orgulhoso e muito prosa.

Haroldo – Rio (Brasil), 29/03/2009

PARA DANIEL

Sandra Fayad - Brasília - Brasil


Vejam que sorte a minha:
Conheci Daniel Teixeira!!!
Quem mo apresentou?
- Foi uma querida fadinha
Que sempre carinho demonstrou.
Logo fiquei bem faceira
Com seus e-mails a me abraçar
E no Jornal On Line
Meus poemas publicar.
Não fossem esses dois
Minhas letrinhas estariam
Tão somente no aquém –mar.

Daniel,
Desejo-te muito FELIZ ANIVERSÁRIO


Neste Dia de Alegria, apenas quero desejar a um Grande Amigo, e com Grande Coração, um Feliz Dia de Aniversário junto daqueles que lhe são queridos, e que estes momentos continuem por muitos Anos.
E que continue em Frente porque os Projectos conquistam-se.
Parabéns e Muitas Felicidades
Grande Abraço.

Abílio Lima(Conferencista TEAM EUROPE)"
Braga - Portugal

DE COMO SE PRETENDE MISTURAR HUMOR COM ASSUNTO SÉRIO E ASSIM COMEMORAR UMA DATA !
(Afinal ANIVERSARIO não é ALEGRIA ?)
Alguma coisa me dizia que teria de existir outra qualquer alguma coisa que em mim tivesse despertadoo não sei quê que morde não sei onde e comicha não sei porquê !
Ora aí está !
Você (aliás, como qualquer outro vivente que disso se preze) aniversaria também ...
e mais: aniversaria no terceiro mês do ano (bem no seu finalzinho é certo, mas ainda dentro da vigência) e segundo o que me segredam os DUENDES (tipo de Gente com quem mantenho certa regularidade de contacto)que quem se atreve a aniversariar neste mês tem, para mim, significado MUITO ESPECIAL e é gente que - com o seu relacionamento-emite/recebe fluidos muito benéficos e para mim, bem positivos.
(Entre outros factos marcantes sobressai, por exemplo, a data de aniversário de meu PAI, que, se fosse vivo, completaria 106 anos no dia 17 ! )
Ao acreditar em premunições e sentimentos afins, assim se desvenda o mistério da proximidade que sempre adivinhei haver entre nós e no nosso muito marcante relacionamento ainda que apenas virtual !
Deste jeito, peço-lhe aceite desde já os mais sinceros PARABÉNS pela passagem de mais um ano e que o próximo lhe traga tudo quanto de bom possa existir, todas as venturas que o possam tornar feliz e realizado.
Acredite nos meus frequentes contactos com os DUENDES, e na amizade do velho mas muito mais velho JORGE que se envaidece por pertencer ao grupo dos que, por alguma razão, mereceram ou venham a merecer a sua atenção e amizade e, já agora, naquilo que de belo teve, tem e terá a vida.....
AMEM !
!!!!! SALVÉ O 29 DE MARÇO !!!!!

Mensagem recebida de: Jorge Alberto Rodrigues Marques Pinto - Brasil


Parabenizo-o pelo aniversário, que ocorre dia 29 de março. Felicito pela vida, pelo esforço, pela dedicação à literatura e à cultura portuguesa, brasileira e universal.
Certamente a história vai reconhecer cada passo seu...

Abraços do brasileiro amigo:

Valdeck Almeida de Jesus
Escritor e Poeta
Salvador - Brasil

Exmo Senhor Daniel Teixeira
Director do Jornal "Raizonline".
Os alunos do 4º ano da escola E.B.1/JI de Calvos desejam-lhe muitas felicidades para a sua vida e carreira.
Calvos, 27 de Março de 2009
Os alunos

Calvos - Guimarães - Portugal

quarta-feira, março 18, 2009

TERRA DE SONHOS (PORTAL ENCONTRO DE ALMAS)



Terra de Sonhos

Existe num sombrio planeta muito, muito distante,
vogando numa galáxia estranha e desconhecida,
com torres esguias erigido, um castelo fascinante,
erguendo-se acima da névoa brilhante e colorida!
Voluteando pelos céus entre o resplendor brilhante,
o corcel de batalha em raios prateados pleno de vida!
Na garupa um mágico cavaleiro de vigor irradiante,
em sua mão esguia, empunhando a lança desabrida!


Ao seu lado, cavalgando seu narval de pelagem dourada
Altaneira e formosa, de asas abertas, sua fada amante,
pele alva, pelos raios do ocaso de cor dourada colorida,
cabelos ao vento, derramados como cascata ofuscante!
Pernas nuas, torneadas acariciando seu licorne, fascinada,
busto envolvido em ténues sedas, a doces toques convida,
mirada presa na figura garbosa que a faz sentir-se amada,
mãos com leves toques, conduzindo a fantástica cavalgada!


Em frente rumo ao quotidiano ocaso do astro-rei flamejante,
uma mitológica criatura couraçada, atravessa o firmamento,
sua pele escamada em longo corpo curvilíneo, desenhada,
em douradas gemas de pedrarias, brilham como diamante!
Seu bafo ardente, atiça chamas que se esvaem com o vento,
e o dorso ondulante contorce nesse ritmo de criatura alada,
os olhos como astros coruscantes, fixos no par galopante,
que jurou proteger dos perigos daquela terra do necromante!


Para adentrar o mágico portal da encantada terra de sonhos,
onde o estrépito metálico das espadas eternamente ecoa,
e se ouvem em contínuas batalhas, os guerreiros de outrora…
Almas em sintonia se necessitam com espíritos risonhos,
enquanto a música marcial, pelos vales sombrios entoa…
e o cavaleiro mago com os parceiros, se dirigem para a aurora…
indispensável um requisito essencial para a esta terra acessar,
saber conjugar, no modo incondicional o imortal verbo AMAR!


PARA VER TODO O PORTAL CLICAR EM:

ENCONTRO DE ALMAS

quarta-feira, fevereiro 25, 2009

Dança da Primavera
















Em alegres revoadas no céu azul,
cores variadas na plumagem de penas,
chegam estafadas dos caminhos a sul,
despertam tolas invejas entre as morenas!



Oscilam no balouço dos cabos e fios,
Estão de férias, mas desejam namorar,
Voando recolhem por florestas e rios,
os musgos e troncos para a casa montar!


O ritual começa no vento cheiroso,
em piruetas alegres e simuladas,
bailados tolos em rodadas coloridas...


desde sempre este voltear amoroso,
uniu os varões e suas lindas amadas,
para conceder ao planeta novas vidas!


Arlete Piedade

segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Celestes de Santarém - Doce Conventual Regional



Receita: Leve 500 gr. de açúcar ao lume com 2 dl de água e deixa-se ferver até fazer iusponto de fio apertado. Entretanto pele e rale 250 gr. de amêndoas. Junte as amêndoas raladas ao açúcar em ponto e deixe cozer um pouco. Bata 24 gemas com 2 claras. Retire o doce do lume e deixe arrefecer um pouco. Adicione as gemas batidas. Depois de bem misturados molde em montinhos que se colocam sobre rodelinhas de obreia. Leve ao forno só para tostar as pontas.

Este é um doce conventual, com origem no Convento de Santa Clara em Santarém, e ainda hoje confeccionado e vendido nas melhores pastelarias da cidade.

Respondendo ao convite/desafio do meu amigo, o poeta Jorge Vicente, estou a dar a conhecer este doce regional de Santarém, no qual vão poder votar consoante as regras que o mesmo definiu no seu blog, que poderão ver em: http://jorgevicente.blogspot.com

Transcrevo o desafio que o Jorge Vicente deixou no seu blog, e em resposta ao qual, coloquei este post:

"recebi ontem um interessantíssimo desafio proposto pela poetisa alexandra oliveira: o desafio consiste em sermos "trasteadores" oficiais, o que quer dizer: escolhemos um determinado produto da nossa região e divulgamo-lo aos nossos conhecidos. embora os "trasteadores" oficiais tenham sempre uma empresa por trás, nós poderemos fazer a nossa publicidade, não é? afinal, não somos nós os melhores divulgadores dos produtos da nossa terra?

como se processa esta divulgação? da seguinte maneira:

1º - quem receber o desafio, coloca o seu produto para sorteio no seu blog;
2º - desafia 3 amigos ou bloguistas a fazerem o mesmo;
3º - faz o sorteio no dia 28 de fevereiro e envia o produto a quem ganhar!!!

como é que se entra no sorteio? basta colocar um comentário aqui no meu blog a dizer que quer participar no sorteio!!!! mas vocês podem perguntar: porque é que é 28 de fevereiro? simplesmente porque é o último dia do mês!!! agora, espero arranjar o tempinho para ir comprar o meu presentinho!!!!

em princípio, o meu produto vão ser queijadas de sintra, da SAPA, as verdadeiras, umas das mais antigas da vila mais linda de portugal!!!!!

passo o desafio a mais três pessoas:

- Ana Vicente (Mesa de Luz);
- Lumife;
- arlete piedade.

por isso, joguem e divulguem o que a nossa terra tem de bom!!!

um grande abraço a todos
jorge vicente "

Agora vou escolher as pessoas a desafiar, mas quem quiser inscrever-se é só responder deixando comentário a dizer que se quer inscrever. Arlete Piedade

E as pessoas que desafio são: Conceição Bernardino
Katiuska e
Tertulias no Carvão

Espero aceitem este desafio e deixem mensagem nos comentários. Abraços a todos, Arlete Piedade (vou estar ausente de quinta - feira a sábado, por motivos de trabalho, quando voltar respondo a todas as mensagens)

segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Nave do Espaço

















Que belo planeta azul e luminoso, vejo além a vogar...

talvez seja o mesmo que nossos ascentrais visitaram!

Ficaram as lendas dos imensos mares e animais a lutar,

seus habitantes inteligentes, e a civilização a despontar!



Na atmosfera azul e profunda, brancas nuvens vogavam,

nas árvores frondosas, cresciam frutos e trinavam aves...

nos oceanos, seres aquáticos, as vagas alterosas cortavam,

com corpos vigorosos, de cores variadas e formas suaves.


Mas dizem os ultimos relatórios recebidos dos guardiões,

que agora os habitantes já não respiram a plenos pulmões,

que o veneno, fumo, poluição, os conduzem á destruição...


Furacões em fúria, vidas destruídas, guerras, inundações,

seres em fúria destroem, apunhalam, matam, violações,

será que ainda há tempo de a tanto mal, colocar travão?



Arlete Piedade

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Saber-te...















Saber-te

Olhar-te aí mudo e calado
no teu silêncio escolhido
em auto-isolamento...

Penso que não te sei sentir
só a minha alma voa e voaaa..
procura atormentada pela tua
querendo-te saber...

Que te perturba, eu não sei
estás mal e isso me angustia
sinto em mim essa agonia
que te consome...

Teu sabor que em mim guardo
teu odor que ao longe inalo
teus cabelos que te afasto
dessa face amada...

Não sei o nome dessa mágoa
mas por mais que em ti doa
se repercute em mim...

o coração sinto acorrentado
a este sentimento obsessivo
que me sujeita assim...

Não, eu não sei esquecer-te
só consigo padecer-te...
e rezar baixinho...

retomo a fé na oração
suplico á Senhora, protecção
para ti...para ti...

que cure a dor do teu coração...
e dê forças ás tuas mãos...
és seu filho sim...sim...

Peço para Ela te proteger
não te deixar padecer
nem aos que amas...

Tem Fé sim tem, meu Amore
não há mal que sempre dure
e o sol voltará...

Brilhará sobre essa alma
tua felicidade retornará
e teu riso nos alegrará...

Arlete Piedade

terça-feira, fevereiro 03, 2009

Guerra e Paz













Um menino só e triste chorava,
clamava pelos irmãos e seus pais,
e ao redor, a seca terra estalava,
escuros os ares, tonitruantes ais!


Rugidos de chamas se alastrando,
escombros pelo chão espalhados,
tristeza, nas lágrimas espelhando,
pobres orfãos na vida, largados!


Quando será que nesta terra infeliz,
os homens curvarão a altiva cerviz,
e buscarão o entendimento fraterno?


E farão deste planeta, um local feliz,
dando aos filhos, alegria que condiz
com o paraíso e jamais com inferno?


Arlete Piedade

segunda-feira, fevereiro 02, 2009

Festa do Coração




Depois da tempestade da descrença,
eis que chega radiante nova esperança!
Afinal foi adiada essa cruel sentença,
nossas almas unidas em nova aliança!


Canta o coração feliz na presença,
só por o ver ele bate tão contente...
no peito da mulher que como criança,
é arrastada por paixão adolescente!


Mas que nele não se manda, sabemos
nale a pena entender suas razões...
só a verdade é que ele está em festa…


nem na razão, confiar, afinal podemos,
pois nascem no coração, essas paixões,
fascinados, aproveitamos o que resta!
Arlete Piedade

sexta-feira, janeiro 30, 2009

Viver Por Amor


(Dedicado a um casal de idosos de Santarém)

Ela é velha, uma senhora de idade
Afoita viajou para países distantes
Vive há muitos anos aqui na cidade
Suas fotos, recordam belos instantes!

Ela é magra, já não lhe apetece comer
Quer deixar o coração cansado, parar
Porque sente-se tão fatigada de viver
Mas não se permite ainda descansar!

Ela queria finalmente partir para o além
Mas não pode ainda, esta vida abandonar
Porque tem uma nobre missão para findar!

Ela sabe que o seu amor não tem ninguém
Ele é velhinho e chama-lhe “minha mãe”
Não pode partir, tem o seu amor a cuidar!

Arlete Piedade

quinta-feira, janeiro 29, 2009

Flores e Beijinhos



Entraste na minha vida,

fascinante e inesperado,
chamas-me amor e querida,
confias que és desejado!

Com palavras de carinhos,
que envias a esta fada,
entre flores e beijinhos,
queres-me para namorada?

Ou queres minha amizade,
que será tua de verdade,
dispensando a sedução...

és belo, tens suavidade,
confias nessa intimidade,
mas receio nova paixão...

Arlete Piedade



Madura Liberdade




Nada mais tenho que provar
a quem quer que questione!
Sou como estou a demonstrar
mesmo que já nada funcione!

Já duvido se ainda sei amar,
o tempo já não ajuda mais...
Mas ainda sei as letras usar
logo não esquecerei jamais...

Agora quero ser livre e voar,
usar as fatigadas asas e subir
em direcção ao azul do céu…

Quem ainda me queira amar
siga-me se quiser comigo vir
venha mostrar se ainda é meu!




Arlete Piedade